sexta-feira, 26 de março de 2021

Temporada 2021

Abrindo um parêntese na nossa regressão, hoje trago o manto da atual temporada. Produzido pela PE Retrô, o uniforme apresenta um desenho padrão para as duas versões, com a gola "V" com um friso central, padrões geométricos nos ombros e punhos da camisa e na barra do calção. No uniforme titular, a camisa rubra apresenta a gola em um tom de vermelho mais escuro e o friso central no mesmo tom vermelho da camisa, os padrões geométricos do ombro e punhos em um tom de vermelho mais escuro. Os calções são brancos com padrões geométricos da barra em vermelho e meiões vermelhos. No uniforme reserva, a camisa é branca com a gola branca e friso central vermelho, os padrões geométricos do ombro e punhos são vermelhos. Os calções são vermelhos com padrões geométricos da barra em vermelho mais escuro e meiões brancos. Em 2021, com o calendário mais cheio, esperamos que a temporada possa trazer alegrias para a massa colorada e que esse uniforme entre para a história do Mais Querido do Estado.

sexta-feira, 19 de março de 2021

Temporada 1990

Depois de um tempo sem postagens, volto com a temporada 1990, que não foi muito boa para o Mais Querido. Em um ano marcado pela Copa do Mundo da Itália, o Campeonato Sergipano começou agitado entre Sergipe e Confiança. Isso porque o atacante Celso Mendes, assinou dois contratos, um com o Sergipe e outro com o arquirrival. No fim das contas, acabou se apresentando no João Hora de Oliveira. A competição teve aquele tradicional torneio início, com as nove equipes jogando partidas curtas, tudo no mesmo dia, e com decisões por pênaltis em jogos que terminavam empatados. O Guarany de Porto da Folha foi o campeão improvável. Mas quando a bola rolou pra valer, já na decisão do 1º turno houve mais polêmica envolvendo o Sergipe e o arquirrival. Para apitar o confronto, veio o árbitro FIFA Pedro Carlos Bregalda. O confronto entre colorados e azulinos foi equilibrado no segundo tempo. Na volta do intervalo, aproveitando-se de uma falha da zaga, Nininho abriu o placar para o Sergipe. O Confiança precisava virar para conquistar a fase, empatou com Audair. Aos 43 do segundo tempo, já com a temperatura do jogo em alta voltagem, em uma bola aérea, o zagueiro Ita, do Sergipe, como último homem de defesa, evitou o gol do Confiança. O árbitro assinalou a marca do cal e a confusão foi generalizada, sendo que os jogadores do Sergipe não deixaram a cobrança ser efetuada e até o então presidente do Sergipe, o lendário Motinha, entrou em campo e não permitiu a cobrança do penalti. Diante desse cenário, o arbitro Bregalda foi para o vestiário e decretou a partida encerrada e o Confiança comemorou o título, que mais tarde foi ratificado pelo TJD. Definitivamente 1990 não foi um bom ano para o Sergipe. No segundo turno, em um clássico realizado no antigo Presidente Médici, o Itabaiana derrotou o Sergipe pelo placar de 1 a 0, tirando dos colorados definitivamente a chance de brigar pelo título, que estava entre tricolores e azulinos.Na última partida do Triangular Final, o Sergipe  enfrentou o arquirrival que jogava pelo título e abriu o placar com o atacante Dudu. O Sergipe tentou estragar a festa até o último minuto, mas não conseguiu e viu o arquirrival levantar o troféu de Campeão. 

Fonte: Matéria GE

Temporada 2021

Abrindo um parêntese na nossa regressão, hoje trago o manto da atual temporada. Produzido pela PE Retrô, o uniforme apresenta um desenho pad...