quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Temporada 2009

A Temporada 2009 foi marcada pelas comemorações do Centenário do "Mais Querido". A primeira competição que o Sergipe disputou foi a Copa Governador do Estado. Disputada por Sergipe, Itabaiana, Confiança e São Domingos, o Sergipe se classificou para a final com a conquista da 1ª Fase e disputou a final com o São Domingos, campeão da 2ª Fase. A partida terminou empatada sem gols e na disputa por pênaltis o goleiro Érico, do Sergipe, teve sua cobrança defendida e o São Domingos venceu por 6 a 5, frustrando a torcida colorada. Para o Campeonato Sergipano a cobrança aumentou e a equipe fez uma boa campanha, classificando-se para a final contra o histórico arquirrival Confiança. No jogo de ida, o Sergipe ganhou por 2 a 1 e foi para o jogo decisivo com a vantagem do empate, mas para a decepção da torcida colorada, o Confiança conseguiu reverter a vantagem e vençeu a partida por 2 x 0, ficando com o Troféu. Com o vice, o Sergipe classificou-se para a Série D do Campeonato Brasileiro e teria mais uma chance de salvar o ano, com o acesso para a Série C. A campanha na primeira fase foi razoável e o Sergipe conseguiu se classificar em 2º, em um grupo que tinha Santa Cruz-PE, Central-PE e CSA-AL. Na segunda fase, o Sergipe eliminou o Ferroviário-CE depois de ganhar em cada por 2 x 0, e arrancar um empate fora de casa por 3 x 3. Na terceira fase, o adversário foi o Alecrim-RN. No primeiro jogo, o Sergipe mostrou superioridade e venceu a partida por 3 x 1, levando para o jogo de volta a vantagem de poder perder por 1 gol. Mas, assim como aconteceu na final do Estadual, a equipe rubra não conseguiu manter a vantagem e acabou eliminada da competição com uma derrota por 3 x 0, frustrando mais uma vez a torcida colorada que não teve motivos para comemorar o Centenário do clube. Para essa temporada, a Onza não inovou muito e o template usado foi semelhante ao do ano anterior, apenas com uma costura aparente que se estendia desde a manga ate a gola e descia longitudenalmente dos dois lados até a barra da camisa. O uniforme titular era vermelho com gola branca, calções brancos e meiões vermelhos. O uniforme reserva era banco com gola vermelha, calções vermelhos e meiões brancos. Para marcar as comemorações do Centenário, o clube lançou uma camisa comemorativa. O template possuía duas faixas abdominais e o logo do clube centenário no centro e nas costas o logo dos 100 anos. Foram lançadas duas versões, a vermelha e a branca. (OBS.: Não tenho certeza se a camisa comemorativa ao Centenário foi usada em jogos oficiais).





domingo, 19 de janeiro de 2020

Temporada 2010

A temporada 2010 é outra que os torcedores colorados não gostam de lembrar. Depois de fazer uma péssima campanha na 1º fase (5 vitórias, 7 empates e 6 derrotas), que não o credenciaria para a disputa do Quadrangular Final, ainda perdeu 3 pontos por escalar um jogador irregularmente. Resultado: ficou na antepenúltima colocação, beirando o rebaixamento para a 2ª divisão estadual. Ainda em 2010, o então presidente Antônio Soares da Mota, o Motinha, depois de 30 anos sai da presidência depois de uma decisão judicial. Também no ano de 2010, a Onza se despedia do manto Colorado. A marca sediada em Lagarto, assumiu a produção dos uniformes em 1999 e ficou marcada logo na primeira temporada com a conquista do Campeonato Sergipano. A Onza já havia produzido conjuntos icônicos nos primeiros anos de parceria, mas já no final vinha deixando a desejar. Nesse último conjunto era muito simples, com o uniforme titular em vermelho e detalhes brancos nas mangas e no abdômen, calções brancos e meiões vermelhos. O uniforme reserva, era o inverso do titular, com camisa branca, com detalhes vermelhos nos ombros e abdômen, calções vermelhos e meiões brancos.  


terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Temporada 2011

A temporada 2011 foi marcante para o Club Sportivo Sergipe. Depois de 30 anos, o Mais Querido não estava mais sob a administração de Antônio Soares da Mota, o Motinha. Em 2010, ele e o vice Ramon Barbosa, foram afastados da presidência por 90 dias. Em seus lugares assumiram o presidente do conselho deliberativo, Ary Rezende, e seu vice Eraldo da Imaca. O processo na justiça foi movido por conselheiros do clube devido a indícios de irregularidades administrativas na gestão do então presidente. Em campo, o Sergipe por mais um ano ficou na fila, terminando a competição na terceira colocação e vendo o River Plate de Carmopolis faturar o Bicampeonato. O manto da temporada 2011, pela primeira vez era produzido pela Nakal, que caprichou no design e apresentou uma inovação: o escudo centralizado (foi a única vez que o escudo foi disposto dessa maneira no manto Colorado). O Uniforme titular era vermelho, com detalhes brancos que saiam da parte superior da gola e desciam até as axilas, calções brancos com detalhes vermelhos nas laterais e meiões brancos. O uniforme reserva era predominantemente branco, com os mesmos detalhes do conjunto titular em vermelho, calções vermelhos com detalhes laterais brancos e meiões vermelhos.


sábado, 4 de janeiro de 2020

Temporada 2012

A primeira postagem de 2020 traz os uniformes usados na temporada 2012. O ano de 2012 não traz boas lembranças para a torcida colorada. Depois de uma pífia campanha na 1ª Fase do campeonato, onde ficou na lanterna do grupo, com apenas 2 pontos, e com 8 derrotas o Sergipe foi para o tudo ou nada na 2ª Fase. Durante a 2ª Fase a pressão era gigante no João Hora, visto que só a classificação para a Semifinal, eliminaria a possibilidade de rebaixamento. A classificação veio em um jogo dramático contra o Itabaiana, em que o gol de Diego Lima e a noite inspirada do goleiro Marcos garantiram a vitória magra, mas salvadora. Na Semifinal a equipe rubra não conseguiu suplantar o ímpeto do Confiança que se classificou para a Final com duas vitórias por 1 x 0. Na Final da 2ª fase, ganhou nos penaltis para o São Domingos e se credenciou a fazer a final do Campeonato Sergipano contra o Itabaiana, sendo que a equipe tricolor sagrou-se campeã, vencendo o jogo de ida por 3 x 1 e perdendo a volta por 1 x 0. Os uniformes usados  em 2012, pelo 2 ano eram produzidos pela Nakal. O conjunto titular com a tradicional camisa rubra vinha com um modelo simples, com gola olímpica vermelha com detalhe branco, e detalhes brancos que desciam da gola e acompanhavam as costuras das mangas, calções brancos com listras vermelhas nas laterais e meiões brancos. O conjunto reserva possuia desenho igual ao titular, mas com a camisa branca e os detalhes em vermelho, calções vermelhos com listras brancas nas laterais e meiões vermelhos. Em 2012, o Sergipe lançou um terceiro uniforme, com o mesmo desenho dos outros dois, com a camisa em branco com uma faixa horizontal vermelha na altura do peito e quatro pequenas listras vermelhas horizontais na altura do abdômen, calções vermelhos com listras brancas nas laterais e meiões vermelhos.



Temporada 1997

A Temporada 1997 seria a consagração para o Sergipe, que já tinha conquistado o inédito Hexacampeonato (recorde de títulos consecutivos em ...