terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Temporada 1983

 Em 1983, o desafio do Sergipe era melhorar seu desempenho e passar da 1ª fase na Taça de Ouro (nome dado a Série A do Campeonato Brasileiro daquele ano, cuja classificação foi obtida com o Título Estadual de 1982), visto que nenhuma equipe sergipana tinha alcançado tal feito. A equipe não tinha feito nenhuma contratação de peso, porém conseguiu manter a base que conquistou o Estadual que tinha no plantel o atacante Valença, que foi o artilheiro do Estadual com 26 gols e com o talento do jovem meia-armador Henágio (que se destacou na competição, e partiu para o Santa Cruz-PE) e do milagroso arqueiro Albertino. Mas apesar da esperança da Massa Colorada, o Esquadão colorado não conseguiu a classificação, porém terminou a competição na 26ª colocação entre os 44 times que disputaram o campeonato. Já no Campeonato Sergipano, a equipe entrou na competição como atual campeão e com a base mantida, exceto com a ausência de Henágio, que saiu logo após a Taça de Ouro. A expectativa éra grande para o Bicampeonato, porém era um campeonato complicadíssimo. Cada um dos três turnos foi dividido em duas fases distintas. A primeira disputada por oito clubes; a segunda, um quadrangular com os melhores da fase anterior. O vencedor de cada fase se credenciava para o chamado turno decisivo, levando um ponto um ponto de bonificação.  Apenas o Sergipe, o Estanciano e o Confiança participaram da reta final, encerrando uma cansativa jornada de jogos. No jogo decisivo, Confiança e Estanciano estavam na liderança, com 6 pontos - sendo que o Estanciano já tinha encerrado sua campanha. O Sergipe estava com 4 pontos e em caso de vitória no jogo final contra o Confiança, empataria com os adversários e deixaria o campeonato indefinido. No fim, em um jogo cheio de catimba e com 2 jogadores do Confiança expulsos, deu empate e o titulo ficou com o Confiança, que não ganhava um troféu desde 1977. Na temporada 1983, os registros fotográficos encontrados nos levou a conclusão que o Sergipe usou algumas variações do seu uniforme (fato comum na década de 1980 entre clubes do nordeste). O uniforme titular era com a camisa predominantemente vermelha com mangas brancas, com o patrocinio EVEREST às costas, calção branco e meiões vermelhos. O uniforme reserva era de um modelo diferente do titular, com o branco como cor predominante, e linhas verticais finas em vermelho, e gola tipo "pólo" vermelha, com o patrocinio EVEREST às costas, calção vermelho e meiões vermelhos.

Fonte: Revista, Placar Edições 660 e 710 de 1983.


Temporada 1982

Voltando à nossa incursão histórica, chegamos à Temporada 1982. Em 1982, o Itabaiana pretendia conquistar o tão sonhado pentacampeonato. O S...