domingo, 20 de setembro de 2020

Temporada 1996

 A Temporada 1996 ficou marcada na história do Club Sportivo Sergipe. Apesar de não ter sido um ano fácil para o Sergipe, o Hexa marcou uma geração de jogadores e dirigentes que passaram pelo João Hora. A formula do Campeonato Sergipano mais uma vez era mirabolante, com fases, turnos, quadrangulares e pontos de bonificação para a fase final.  O início da campanha do Hexa não foi das melhores, visto que no 1º Turno da 1ª Fase a equipe rubra ficou em 2º lugar e não se classificou para a Final do 1º Turno, que foi decidido entre  Olimpico (Itabaianinha) e Itabaiana, sendo que o Itabaiana saiu vitorioso no confronto e levou 3 pontos para a Fase Final. Depois do 1º Turno conquistado pelo Itabaiana, foi disputado um 2º Turno com os 2 melhores colocados de cada grupo do Turno anterior, com jogos no formato mata-mata. O Sergipe enfrentou na semifinal o Olímpico (Itabaianinha) em dois confrontos, onde venceu o jogo de ida por 1 x 0 e empatou o jogo de volta em 0 x 0, classificando-se para a Final do 2º Turno, onde enfrentou o Confiança. Na Final do 2º Turno da 1ª Fase, o jogo terminou empatado e na decisão por penaltis, a equipe rubra derrotou o rival por 9 x 8 e acumulou 1 ponto para a Fase Final. Daí por diante, a equipe se encaixou e no 1º Turno da 2ª Fase, o Sergipe terminou em 1º do grupo  e ganhou essa fase com uma vitória na Final por 3 x 2 sobre o Vasco, 1º colocado do outro grupo, e acumulou mais 3 pontos para a Fase Final. Na Disputa do 2º Turno da 1ª Fase, novamente com jogos em formato mata-mata, o Sergipe jogou contra o Olimpico (Itabi) na Semifinal e empatou o jogo de ida por 3 x 3 e se classificou no jogo de volta, com uma vitória por 3 a 0, sobre o Jegue do Sertão (como era conhecido o Olímpico). Na Final do 2º Turno da 1ª Fase, mais uma vez o adversário foi o Vasco, e depois de um empate sem gols, o Sergipe sagrou-se campeão nos penaltis, por 6 x 5, e acumulou mais 1 pontos e totalizando 5 pontos de bonificação para a Fase Final. Na Fase Final a coisa não foi fácil e se o Sergipe não tivesse acumulado 5 pontos, talvez o Hexa não viesse. Logo nas duas rodadas iniciais, perdeu para Olimpico (Itabaianinha) e Vasco. Os jogos seguintes mexeram com as emoções dos torcedores, pois o Sergipe venceu o Itabaiana, empatou com o Olímpico (Itabi) e novamente venceu o Itabaiana no Batistão. O último e decisivo jogo foi contra o Vasco, que contava com a revelação do campeonato, o meia Geraldo (que mais tarde se destacou pelo Confiança  e por outros clubes do Brasil). O jogo foi duro e o empate no final deu o Hexacampeonato histórico ao Sergipe. Apesar do título histórico, a Temporada também ficou marcada negativamente pela goleada de 8 x 0 que a equipe rubra sofreu do Palmeiras, a máquina comandada por Djalminha, no jogo de ida pela Copa do Brasil. Na Série B do Brasileirão, o Sergipe não fez boa campanha, visto que nos 8 jogos  que fez pelo grupo C da competição, conseguiu apenas uma vitória sobre o Americano(RJ) e acumulou 2 empates e 5 derrotas, campanha que rebaixou o Sergipe para a Série C de 1997. O uniforme usado em 1996, marcou a despedida da Spert, que vestiu o clube desde a temporada 1993 e era semelhante ao uniforme usado no ano anterior. O conjunto titular era predominantemente vermelho, com detalhes brancos nas mangas, calções brancos e meiões vermelhos. O conjunto reserva possuia o mesmo design do titular, com o branco predominante e detalhes vermelhos nas mangas, calções vermelhos e meiões brancos.

 
OBS. Esse template foi desenvolvido em parceria com o amigo Evaldo Júnior, do blog/site ErojKit.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temporada 1993

Tratou-se de um manancial de glórias rubras a Temporada de 1993, em virtude de que foi alcançado o 1º acesso de um clube sergipano em compet...