sexta-feira, 1 de maio de 2020

Temporada 2001

No feriado de 1º de maio, tem mais camisas históricas do Sergipe, dessa vez as camisas da temporada 2001. A temporada 2001 foi mais uma temporada difícil para a torcida colorada, depois da indefinição do título de 2000 (que até hoje não tem campeão definido), o Sergipe remontou a equipe mantendo uma base que tinha seus pilares no experiente zagueiro Rogério e no atacante Pedro Costa, mas não fez boas campanhas em nenhuma das competições disputadas. Na Copa do Brasil, foi eliminado na 1º Fase pelo Botafogo-RJ, perdendo a primeira partida em casa por 3 x 2 e a segunda por 2 x 1. Na Copa do Nordeste, a equipe rubra ficou na 12ª colocação geral, com 4 empates, 4 vitórias e 7 derrotas, ressaltando que a competição foi disputada em turno único. Já no Campeonato Sergipano, O Sergipe começou bem a competição e venceu a 1ª Fase (Taça Cidade de Aracaju), garantindo a vaga na Final. Se a equipe conquistasse a 2ª Fase (Taça Estado de Sergipe), seria Campeão sem necessidade de disputar a Final, mas as derrotas para o Confiança na última 1º Turno e para o São Cristóvão na 1ª rodada do 2º Turno, comprometeram a campanha e o Sergipe viu o arquirrival se credenciando para a Final.  Na Final, o primeiro jogo acabou empatado por 2 x 2 e no segundo jogo, outro empate por 0 x 0. O Regulamento previa que, em caso de empate nas 2 partidas, seria disputada a 3ª partida, sendo que a equipe Campeã da 2ª Fase (Taça Estado de Sergipe) jogava pelo empate e foi justamente isso que aconteceu, sendo que o jogo acabou empatado em 1 x 1 e o Confiança ficou com a Taça de Campeão Sergipano de 2001. A ultima competição do ano foi a Série B e mais uma vez a equipe decepcionou. Na competição, ficou no Grupo A e entre 14 equipes das regiões Norte-Norteste, ficou na 11ª colocação e foi para a disputa de um Playoff de rebaixamento. No palyoff, contra o Criciúma, acabou perdendo fora de casa por 3 x 1 e na volta o empate por 0 x 0, sacramentou o rebaixamento para a Série C em 2002. O uniforme para 2001 é um daqueles clássicos (eu inclusive tenho uma camisa desse ano), com modelo simples, mas marcantes. O template usado pela Onza era muito semelhante ao usado pelo Cruzeiro e produzido pela Topper naquele ano. O conjunto titular era composto pela camisa vermelha com uma gola polo (com acabamento semelhante ao V), com um friso branco que saia da gola e terminava na barra da manga, com calções bancos detalhados em vermelho das laterais (detalhe tinha os logos das patinhas da onza) e meiões vermelhos. O conjunto reserva era o inverso do titular, com camisa branca e detalhem em vermelho, calções vermelhos com detales em branco e meiões brancos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temporada 1999

Nossa regressão histórica entra no ano de 1999, ano em que o Sergipe conquistou mais um título estadual. Após a histórica sequência do Hexa...